Cine Cultura exibe 11ª Mostra de Cinema e Audiovisual da UEG

Evento é gratuito e começa nesta terça-feira. No sábado, dia 7, o cinema recebe a Mostra Kino, de curtas-metragens, gratuita

O Cine Cultura, unidade da Secretaria de Estado de Cultura (Secult Goiás), exibe nesta terça-feira, 03 de dezembro, uma mostra de Audiovisual da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Na quarta-feira, dia 04, estreia na sala a produção coreana Parasita, do diretor Joon-ho Bong.

Na programação também continuam em cartaz os filmes Papicha, de Mounia Meddour, e Meu Amigo Fela, do cineasta Joel Zito Araújo. Haverá ainda a Sessão Abraccine, da Associação Brasileira de Críticos de Cinema, com exibição dos filmes Miragem e Animal Indireto, seguida de debate com o crítico Thiago Rabelo, e entrada gratuita. Já no sábado, dia 07, o cinema recebe a Mostra Kino, de curtas-metragens, também gratuita.

Mostra UEG

A 11ª Mostra de Cinema e Audiovisual UEG traz no roteiro as melhores produções do ano, com a exibição de 10 filmes, a partir das 19 horas. As obras escolhidas pela curadoria concorrem a prêmios concedidos pelo curso e parceiros.

A iniciativa tem identidade visual do designer e diretor do Câmpus Goiânia-Laranjeiras, professor Rafael de Almeida, a partir da tela Corpo Indivíduo, gentilmente cedida pelo artista visual Dalton Paula, além do apoio do Cine Cultura, Cria Lab UEG, Naya Violeta e Comitê Goiano Dom Tomás Balduíno de Direitos Humanos.

A curadoria das 10 obras que concorrem à premiação em 2019 foi realizada por um corpo de cinco professoras de Comunicação e/ou Cinema e Audiovisual de diferentes regiões do país: Adriana Amorim (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB), Carmen Luz (Escola de Cinema Darcy Ribeiro - RJ), Clarissa Motter (Universidade Católica de Brasília - UCB), Eliana Marcolino (Universidade do Vale do Rio Doce - Univale) e Lillian Bento (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB).

As obras serão julgadas pelo professor de Jornalismo da UFG, Sálvio Juliano, pela professora de Publicidade e Propaganda da UFG Lara Satler, pelo produtor musical Olemir Cândido e pelos egressos do curso de Cinema e Audiovisual, os produtores audiovisuais Benedito Ferreira e Larissa Fernandes.

As produções concorrerão a prêmios para o 1º, 2º e 3º lugares, além do Prêmio Dom Tomás Balduíno de Direitos Humanos, oferecido pelo Comitê Goiano Dom Tomás Balduíno. O público presente também poderá eleger sua obra preferida, à qual será concedido o troféu de Melhor Filme segundo o júri popular.

Programação da mostra

Dia 3/12:

19h – Sessão competitiva (homenagem + premiação)

Paris (videoclipe, 3'59", dir: Paulo Morais)

Uma viagem com destino ao amor.

Apartamento Vazio (fic 16'35", dir: Paulo Morais e Pedro Hagaferr)

Duas pessoas dividem um apartamento sem tomarem conhecimento da existência uma da outra. Érica, corretora de imóveis, encontra no apartamento Isa, um adolescente em busca da sua identidade.

Nosso (doc, 8'43", dir: Gustavo Silvestre, Jeancarlo Vítor, Jéssica Ferreira, Julianna Mainardi, Lays Rolin, Pedro Henrique Macedo, Robério Thainan e Sildênia Santos)

O documentário, de contornos etnográficos, tem como proposta explorar o universo dos jovens que moram na CEU (Casa de Estudantes Universitários) da Universidade Federal de Goiás. Busca-se perceber a relação do espaço e daquele ambiente com seu cotidiano e a influência no comportamento de quem o habita.

Só mais um Dia (doc, 5'22", dir: Bruno Lacerda e Hal Wildson)

No centro de Goiânia a solidão é um personagem contrastante na narrativa da cidade. Em meio ao caos e a turbulência urbana encontrar espaços de vazio e reflexão é um desafio diante da cidade que nunca para. Nas entrelinhas de “Só mais um dia” conhecemos três personagens que negam suas solidões na medida em que assumem estar sozinhos. Esse é só mais um dia de trabalho, mas também é uma chance de pensar a vida através das vozes de Dona Eracy, Senhor João e Senhor Walmir.

Tela Preta (doc, 4'54", dir: Erik Ely)

Conforme a luz dura posicionada em contra plongée bate na pele dos personagens, juntamente com a grande angular que se aproxima, cria-se sombras que crescem e assustam, trazendo à tona os maiores medos de quem assiste, causando incômodo e horror, o cientista apresenta seu experimento.

Em companhia (fic, 14'02", dir: Jade Moraes)

Thais acaba de se mudar para o apartamento de sua prima Carol, após um trauma envolvendo sua namorada. Ela se vê confinada com sua própria loucura que a faz desconfiar de uma companhia dentro do apartamento.

A Visita (fic, 10', dir: Maykon Rodrigues)

Em uma era da extinção do café, e vinda de uma jornada por terras desconhecidas, aventuras e perigos, Amélia Maxell não tem mais dúvidas de seu maior desejo: uma apropriada paz e merecido descanso em sua legítima residência. Mas uma visita inoportuna pode interromper os seus planos. Baseado nas obras de Wes Anderson.

Resistência Vermelha (doc, 15', dir: Felipe de Mendonça e Cleubismar de Jesus)

O surgimento de um movimento antifascista dentro do futebol criada pela Vila Metal, torcida organizada do time Vila Nova Futebol Clube de Goiás.

Eu, Poesia pra quem? (fic, 15', dir: Gleig de Souza e Silva)

Jô é militante que mora na periferia e faz parte de uma organização que luta contra um governo opressor. Ao dar errado um protesto no centro da cidade, enfrenta a missão ingrata de vingar-se de um traidor.

Folha Amarela (videoclipe, 4'15", dir: Milena Ribeiro)

Sozinha na cidade, Conceição procura e relembra suas raízes, as rodas de coco de sua juventude.

Estreia dia 4/12:

Parasita (2019, Coreia do Sul, 131 min, 16 anos, dir: Joon-ho Bong)

A trama do longa-metragem mostra a saga de quatro membros da família Ki-taek, que estão desempregados, porém uma obra do acaso faz com que o filho adolescente comece a dar aulas privadas de inglês à rica família Park. Fascinados com o estilo de vida luxuoso, os quatro bolam um plano para se infiltrar nos afazeres da casa burguesa. É o início de uma série de acontecimentos incontroláveis dos quais ninguém sairá ileso.

Em cartaz

O filme Papicha se passa em 1997, na Argélia. Nedjma (Lyna Khoudri) é uma jovem argelina apaixonada pelo mundo da moda que em busca do seu sonho num contexto opressor: a Argélia controlada por grupos terroristas com intenções de transformar o país em um arcaico Estado Islâmico. Nedjma, deseja lutar contra a opressão que o governo exerce sobre mulheres tentando controlar seus corpos e presença em espaços públicos. Determinada a unir as mulheres de seu campus, ela organiza um desfile em protesto, que desafia as regras impostas pela sociedade argelina.

Em Meu amigo Fela conta a história do músico nigeriano Fela Kuti (1938-1997), para além da imagem de “excêntrico ídolo pop do gueto”, através de conversas com seu amigo pessoal e biógrafo oficial, Carlos Moore. O documentário constrói um complexo olhar sobre suas influências, seus relacionamentos, sua espiritualidade e o contexto cultural e histórico em que o músico viveu sua vida. O documentário brasileiro tem duração de 1h34min e a classificação é livre. 

O Cine Cultura funciona no prédio do Centro Cultural Marietta Telles Machado, na Praça Cívica, com sessões de segunda a domingo, inclusive aos feriados. O ingresso da sala custa R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia), apenas em dinheiro. Todos pagam meia-entrada nas sessões de segunda-feira. A coordenação do cinema pede, gentilmente, que facilitem o troco e evitem cédulas de alto valor, ajudando assim o trabalho de bilheteria.

 

Confira a programação da sala de 3 a 10/12:

03/12

16h30 - Papicha

19h - Mostra Audiovisual UEG (entrada gratuita)

 

04/12

16h30 – Meu Amigo Fela

18h30 - Papicha

20h30 – Parasita

 

05/12

16h30 - Meu Amigo Fela

18h30 - Papicha

20h30 – Parasita

 

06/12

16h30 - Meu Amigo Fela

18h30 - Papicha

20h30 - Parasita

 

07/12

14h30 - Mostra Kino, curtas-metragens, gratuita –

16h30 - Meu Amigo Fela

18h30 - Papicha

20h30 – Parasita

 

08/12

15h - Sessão Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema (gratuita): Miragem

Animal Indireto + debate com crítico Thiago Rabelo

18h30 - Papicha

20h30 – Parasita

 

09/12 e 10/12

16h30 - Meu Amigo Fela

18h30 - Papicha

20h30 – Parasita

 

Comunicação Setorial Secult Goiás