Corpo de Bombeiros aumenta em 50% eficácia no combate a incêndios

Publicado: 11/10/19 16:30

Este ano foram atendidas 9.051 ocorrências de incêndios florestais

Enfim, após mais de 100 dias, as primeiras chuvas chegaram para amenizar a seca histórica em Goiás. Um alívio, especialmente em Goiânia, onde o tempo seco durou 131 dias. As primeiras precipitações deram fim não só à apreensão de todos os goianos, mas a um quadro que agravava situação bastante dramática: as queimadas em Goiás.

Mais uma vez, o trabalho efetivo e estratégico do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás foi fundamental no combate, na prevenção e na conscientização da população. Segundo dados divulgados pela Corporação, foram atendidas neste ano 9.051 ocorrências de incêndios florestais, enquanto que ao longo de todo o ano de 2018 foram 5.803 registros no total.

O ápice foi o mês passado, considerado o “Setembro Negro”, quando o número de ocorrências extrapolou, com o segundo pior índice registrado desde 1998 no período. Mesmo diante de um cenário tão desfavorável, ficando clara a ação criminosa de incendiários, o Corpo de Bombeiros registrou um aumento em 50% da sua produtividade em relação aos últimos anos, o que garantiu a proteção de 97% das principais unidades de conservação integral.

O coordenador geral da Operação Cerrado Vivo (OCV), tenente-coronel Tiago Dias Coelho, atribui o êxito à mudança na metodologia de trabalho e ações de melhorias na gestão. Um exemplo citado é a operação no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

“O último grande incêndio havia sido em 2017, em que as equipes ficaram 11 dias trabalhando no combate ao fogo. Desta vez, com apenas três dias de presença do Corpo de Bombeiros, conseguimos extinguir um grande incêndio, com uma linha de mais de 10 quilômetros de extensão. Detalhe: sem aumento de efetivo e sem grandes investimentos monetários”, compara.

Na avaliação do comandante, a participação de agentes especializados desde os primeiros momentos nas ocorrências foi um divisor de águas em termos de gestão operacional. “A Corporação tem especialistas em suas respectivas repartições, e na área de incêndios florestais não é diferente. Mas achávamos que eles deveriam entrar em um momento posterior, quando as primeiras respostas não surgissem. Nós invertermos essa pirâmide e eles já passaram a acompanhar de imediato, já nos princípios de incêndio, quando as chances de sucesso no controle são maiores”, explica Tiago.

Conscientização e prevenção

A presença de equipes florestais de plantão na região metropolitana – atuando de forma preventiva em parques e na fiscalização de aceiros –, além do monitoramento por meio de drones agregaram positivamente o trabalho do Corpo de Bombeiros contra o fogo. A corporação também recorre bastante a uma ferramenta chamada “golpe único”.

Assim que a ocorrência é registrada em uma unidade de conservação, já é considerada um fato grave, mesmo sendo pequena, para que os bombeiros mobilizem grandes recursos. “Isso propicia combate mais rápido, mas eficiente e menos danos à natureza”, comentou o comandante.

As estatísticas mostram que, no Brasil, 83% dos incêndios em tempos de seca é fruto de ações humanas criminosas. Deste percentual, 70% são relacionadas diretamente ao dolo dos praticantes, enquanto que 13% advém do descontrole do uso do fogo de forma incorreta, como na queimada de pastos. “Estamos atuando maciçamente nesta questão, com ações preventivas e por meio de parcerias, além da educação da população”, afirmou Tiago Dias. Segundo o tenente-coronel, a Corporação já atendeu diretamente mais de 60 mil pessoas em Goiás em 2019, com palestras e campanhas educativas.

Cerca de 100 mil pessoas, entre crianças e adultos, foram alcançadas na distribuição de cartilhas. “Temos que mudar definitivamente a cultura de achar que os incêndios são normais. Portanto, o eixo de educação é fundamental”, diz Tiago. A fiscalização também foi amplamente reforçada, no ensejo de imputar responsabilidades em conjunto com a Polícia Civil, que este ano conseguiu realizar a prisão de vários suspeitos de incêndios criminosos – um deles identificado como autor do fogo que atingiu vegetação do Parque Sabiá, próximo ao Centro Cultural Oscar Niemeyer, na região sudeste da capital.

O comandante da Operação Cerrado Vivo atribuiu ainda os resultados positivos do trabalho da Corporação à nova filosofia de trabalho do Governo de Goiás. “Temos à frente da área do Meio Ambiente uma nova gestão, com uma equipe formada pelo governador Ronaldo Caiado de pessoas técnicas, qualificadas e realmente empenhadas em mitigar. Vamos continuar trabalhando em total sintonia com a Semad [Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável] para proteger o meio ambiente, em prol da sociedade”, concluiu.


Secretaria de Comunicação - Governo de Goiás