Saúde reforça importância de usar camisinha masculina ou feminina

Publicado: 12/06/19 14:23

Jovens são metade dos casos de HIV e sífilis em Goiás

A Coordenação Estadual de IST/Aids da Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) reforça a importância da prevenção e controle das infecções sexualmente transmissíveis (IST). A camisinha, masculina ou feminina, segue como método mais eficaz para evitar infecções que podem ser transmitidas durante o ato sexual, como a sífilis e o HIV.

A população jovem representa metade dos casos de HIV e sífilis em Goiás. De 2016 a 2018, foram notificados 11.727 casos de sífilis adquirida e 4.514 casos de HIV em indivíduos maiores de 13 anos de idade no Estado. A faixa etária dos 13 aos 29 anos representou 50% desses casos para a sífilis adquirida e 52% para HIV. A proporção de contaminação por sexo na sífilis, no referido período, foi de 67% em homens e 33% em mulheres; já para o HIV, o sexo masculino representou 87% e o feminino, 13%.

A exemplo de herpes genital, sífilis, gonorreia, infecção pelo HIV, infecção pelo HPV, hepatites virais B e C, as ISTs são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos, e transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem uso de camisinha masculina ou feminina, com uma pessoa que esteja infectada. Outra forma de transmissão é da mãe para a criança, durante a gestação, o parto ou a amamentação.

Prevenção e controle

Tânia Vaz, gerente de Programas Especiais da SES – responsável pela coordenação estadual de IST/Aids, reitera que o uso da camisinha em todas as relações sexuais é o método mais eficaz para evitar a transmissão das ISTs, além de evitar a gravidez. “A camisinha, masculina ou feminina, pode ser retirada nas unidades de saúde gratuitamente. O SUS também oferece formas de prevenção e controle das infecções sexualmente transmissíveis/aids”, comunica Tânia.

As principais manifestações clínicas das ISTs são corrimentos, feridas e verrugas anogenitais. A infecção aparece, principalmente, no órgão genital, mas pode surgir também em outra parte do corpo, como palma das mãos, olhos e língua. Observar o corpo durante a higiene pessoal pode ajudar a identificar uma IST no estágio inicial, e sempre que se perceber algum sinal ou algum sintoma, deve-se procurar o serviço de saúde. Algumas ISTs, no entanto, podem não apresentar sinais e sintomas.

Serviços de saúde

Formas de prevenção e controle das infecções sexualmente transmissíveis/aids disponíveis no sistema público de saúde:
Utilização do preservativo em todas as relações sexuais
Profilaxia Pós-Exposição ao HIV e Hepatites Virais (PEP), que consiste em tomar, em até 72 horas após a exposição de risco, medicamentos a fim de evitar a contaminação pelo HIV
Realização de testagem de HIV e sífilis regularmente e/ou sempre que tiver uma exposição de risco
Imunização para Hepatite B e HPV
Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (Prep), método de prevenção destinado aos casais sorodiscordantes, população transexual, homens que fazem sexo com homens (HSH), gays e profissionais do sexo.
Tratamento para as infecções sexualmente transmissíveis.

Comunicação Setorial da Secretaria da Saúde de Goiás
Mais informações: (62) 3201-3784 / 3201-3816 / 3201-3811