Goiás terá fábrica de veículos movidos à eletricidade

Publicado: 12/06/18 16:30

O primeiro dos quatro modelos que serão fabricados será apresentado ao mercado no dia 20

 

Com investimentos fixos de R$ 240 milhões, no prazo de cinco anos até a instalação total, e proposta de geração de 250 empregos diretos em Goianésia, a indústria Electro Motors do Brasil vai entregar ao mercado brasileiro, no próximo dia 20, o primeiro de quatro modelos de moto elétrica nacional, um veículo totalmente produzido em Goiás.

Será o primeiro projeto automotivo desta primeira fase de implantação da planta industrial, que totalizará quatro modelos de motos, dois modelos de scooters e dois modelos de bicicletas, todos movidos à eletricidade. Nas próximas etapas vão produzir também dois modelos de veículos furgões (utilitários) e dois modelos de automóveis, estes programados para chegarem ao mercado em 2019.

“Começamos com projeto para desenvolver oito modelos de veículos totalmente movidos a energia limpa, a eletricidade, cuja produção inicial será de mil unidades ao mês”, adiantou o empresário Carlos Eduardo Barbosa Pinto, que se associou a outro empresário, Wander Barcellos Belizario e juntos vão desenvolver projetos da chinesa Zotye Motors de motos, bicicletas.

O projeto industrial de enquadramento no programa estadual Produzir, de incentivos fiscais, foi aprovado na reunião ordinária desta terça-feira, dia 12, presidida pelo secretário de Desenvolvimento Leandro Ribeiro, que é presidente do Conselho Deliberativo dos programas Produzir/Fomentar. O empresário declarou a importância dos incentivos fiscais recebidos do programa Produzir, do Governo do Estado, e também incentivos da prefeitura de Goianésia.

“Eles nos ajudam a concretizar nosso projeto empresarial”, disse. Segundo ele, somados os apoios recebidos em Goianésia e também pelo Governo do Estado com os incentivos fiscais, as vantagens da logística e localização do município para a instalação da indústria pesaram muito para os resultados positivos desse projeto”, afirmou Carlos Eduardo.

Ele acrescentou vantagens como o fato de “investirmos num projeto de veículo elétrico, ajuda a fugir da crise. Vamos trabalhar um novo nicho de mercado, uma nova tecnologia e e uma novidade que promete ser a tendência de mercado automotivo, que é o movido a eletricidade. Estamos fazendo planejamento para passar à margem das crises”, finalizou o empresário.

Reunião

Na reunião desta terça-feira, dia 12, foram aprovados pelo Conselho do Produzir investimentos que somam R$ 9,1 milhões de oito projetos de indústrias dos ramos de laticínios, transporte e logística, alimentos, bebidas e automobilística, para os municípios de Goianésia, Goiânia, Trindade, Anápolis, Itumbiara, Itauçu e Uruana. A proposta é de geração de cerca de 400 novos empregos diretos nestes projetos.

Os maiores investimentos estão previstos para Itauçu, R$ 3,1 milhões para o Laticínio Formosa. Em Trindade, a Cervejaria Epica vai investir R$ 1,5 milhão, na implantação de nova indústria de bebidas e geração de empregos, e soma-se a estes, o investimento do Laticínio EPP, em Uruana, cujos investimentos diretos chegam a R$ 1,2 milhão.

O secretário Leandro Ribeiro comemorou a chegada de mais indústrias para Goiás, além da ampliação de plantas já instaladas, como o laticínio em Uruana. “Em Goiás respondemos a todos os momentos econômicos com muito trabalho, atraindo investimentos, empresas de primeiro mundo como a nova automobilística de veículos elétricos que começa a operar em Goianésia nos próximos dias. Nada de crise. Mas muitos esforços do Governo e do povo goiano para desenvolver Goiás”, finalizou.

Pioneira

Ao contrário do que foi publicado aqui, a BYD do Brasil, com fábricas de ônibus elétricos e painéis solares em Campinas, no Estado de São Paulo, foi a primeira empresa a inaugurar uma fábrica de veículos elétricos no Brasil, ainda em 2016.

Além de veículos como caminhões ônibus, vans e empilhadeiras elétricas, no ano passado inaugurou, também em Campinas, uma fábrica de painéis solares e, no segundo semestre deste ano iniciará as operações de uma outra unidade fabril em Manaus, Amazonas, para produção de baterias especialmente desenvolvidas para a eletrificação veicular, com tecnologia exclusiva de Fosfato de Ferro Lítio (reciclável e com vida útil de até 30 anos).

Comunicação Setorial SED