Balança Comercial de Goiás se recupera e apresenta saldo de US$ 291,2 milhões

Publicado: 15/04/19 18:35

Goiás fechou o mês de março com balança comercial positiva pelo terceiro mês consecutivo neste ano. O saldo de US$ 291,2 milhões indica recuperação positiva da movimentação comercial com os países estrangeiros em comparação com fevereiro passado, quando o saldo ficou em US$ 87,3 milhões. De um mês para o outro, ou seja, de fevereiro a março de 2019, ocorreu movimentação positiva nas exportações com um acréscimo de 10,80%.

Foram exportados 341 diferentes produtos para 112 países, resultando em US$ 566,7 milhões, com destaque para a China, Itália, Espanha e Hong Kong como principais compradores. Nas importações, foram importados 1.296 produtos diferentes de 61 países, totalizando US$ 275,5 milhões de produtos comprados, principalmente, dos Estados Unidos, China, Suíça, Japão, Rússia, Coreia do Sul, Tailândia, Canadá, Alemanha e Itália.

Produtos Exportados

O complexo soja manteve o protagonismo na pauta das exportações goianas, com volume de US$ 273,5 milhões, equivalente a 48,27% do total em março. As carnes bovinas, suínas e de aves seguiram em segundo lugar no ranking, com volume de US$ 110,6 milhões negociados, ficando para as ferroligas o terceiro posto de campeões de vendas no mês, com US$ 46,9 milhões (8,29%). Em quarto lugar, destaque para o sulfeto de cobre, cujo valor comercializado foi de US$39,3 milhões.

Fechando a pauta goiana de exportações de março, alguns itens igualmente brutos, sem valor agregado, como ouro, couros e derivados, algodão, minério de manganês, entre outros produtos manufaturados, semimanufaturados e básicos. Também na pauta das exportações figuram alguns produtos fiéis da balança comercial goiana, como o complexo do milho, preparações alimentícias, produtos farmacêuticos e químicos orgânicos, principalmente.

Produtos Importados

As importações alcançaram volume total de US$ 275,5 milhões e foram puxadas pelos polos farmacêutico e automobilístico, além da agroindústria. O polo farmacêutico de Goiás em especial, graças ao trabalho consolidado das cerca de 170 indústrias farmoquímicas e de 20 grandes laboratórios farmacêuticos no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), em Anápolis, somado às outras unidades e indústrias espalhadas em Goiânia, Aparecida de Goiânia e em outros municípios goianos, negociou produtos no montante de US$ 78,6 milhões, liderando o ranking dos importados no mês. O equivalente a 28,55% do total importado pelo Estado em março.  

A agroindústria veio na sequência do polo farmacêutico, com importações de principalmente adubos (fertilizantes), vêm em segundo lugar, com volume de US$ 57,4 milhões em negócios, 86,18% a mais que o importado em março de 2018.

Outro importante polo de produção industrial goiano, o automobilístico, foi o terceiro maior comprador de março, com 15,18% de participação nas importações do Estado. Com unidades de produção em Anápolis, Catalão, Itumbiara, principalmente, movimentam a produção e montagem de veículos automotores, tratores, motocicletas e peças de reposição e acessórios.  Foram adquiridos ainda máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos e suas partes, com 10,99% do percentual de importações, entre outros produtos de segmentos diversos.

Países de Origem:

Em março foram importados por Goiás 1.296 produtos diferentes de 61 países. Os Estados Unidos ficaram no primeiro lugar do ranking dos parceiros comerciais do Estado, com volume de US$ 57,1 milhões, ou 20,73%, do total das importações. O alvo das aquisições foram produtos semimanufaturados ou brutos.

Em segundo lugar, a parceria com a China continua rendendo bons frutos. Foram importados do país asiático 13,88% do volume total negociado com os países estrangeiros, seguindo-se as parcerias de negócios com a Suíça (8,09%), Japão (7,72%), Rússia (5,84%), Coreia do Sul (4,56%), entre outros.

Países de destino

A China, seguida de Espanha, Itália e Hong Kong mais uma vez protagonizaram os destinos finais dos produtos goianos. Somados, esses países adquiriram 59,37% dos produtos comercializados por Goiás, principalmente in natura, manufaturados e semimanufaturados e brutos.

Foram vendidos para a China, 46,77% do total dos produtos, destacando-se o complexo soja, carnes bovinas, sulfeto de cobre, ferroligas, minério de manganês, carnes de aves, couros e derivados, açúcar, algodão e glicerol. A Espanha, segunda maior parceira comercial das importações goianas em março, rendeu volume de comercialização de US$ 28,0 milhões, ou seja, 4,94% dos produtos exportados por Goiás no mês passado. No rol dos produtos mais vendidos aparece o sulfeto de cobre, ferroligas, complexo soja, carnes bovinas, entre outros.

Mais informações: (62) 3201-5556