Goiás reafirma compromisso com desenvolvimento de energias renováveis

Publicado: 17/05/18 15:13

O secretário Hwaskar Fagundes reafirmou nesta quinta-feira, dia 17, o compromisso do Governo de Goiás, por meio da Secima, de atuar para o fortalecimento da Política Estadual de Gestão de Energias Renováveis. No caso da energia solar fotovoltaica, o Programa Goiás Solar adotado pelo governo estadual já está consolidado, apresenta resultados e se tornou modelo nacional. O desafio agora é desenvolver outras fontes de energias renováveis.

A declaração do secretário foi durante a abertura da 17ª Reunião do Fórum Permanente de Assuntos Relacionados ao Setor Energético de Goiás, realizada no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

O deputado estadual Simeyzon Silveira, presidente do fórum destacou que o colegiado entra agora em uma nova fase, de ampliação do horizonte, em busca de melhoria e aperfeiçoamento do Goiás Solar. “O diálogo permanente garantiu o avanço do Estado na área de energia solar fotovoltaica, fazendo com que Goiás se posicionasse na vanguarda nacional. Com a abertura do Governo do Estado e o trabalho competente da Secima, além da sinergia entre os diversos setores, vamos conseguir ainda mais resultados práticos”, afirmou.

Conforme a superintendente de Energia, Telecomunicações e Infraestrutura da Secima, Danúsia Arantes Ferreira, o modelo de governança do Programa Goiás Solar, ao envolver em sinergia governo, empresários, sociedade civil e universidades, contribuiu para que Goiás se tornasse referência nacional nessa área. Ela informou que na próxima semana irá ao Amapá, onde o governo daquele Estado deseja conhecer detalhes do programa goiano. “Este é o quinto Estado que demonstra interesse pelo Programa Goiás Solar”.

O diretor do Departamento de Informações e Estatísticas Energéticas do Ministério das Minas e Energia (MME), Ubiratan Francisco Castellano, proferiu palestra sobre o planejamento energético do Brasil. Segundo ele, o planejamento para 2026 prevê a incorporação das fontes de energia renováveis eólica e solar, além das tradicionais que são a hidráulica, biogás e biomassa, que também devem avançar.

“Para os próximos dez anos essas fontes deverão ter maior participação progressiva na matriz energética brasileira. Isso está dentro dos acordos internacionais e do compromisso do País para 2030, que é com a sustentabilidade.”, disse.

Castellano declarou ainda que o Brasil já é um País que tem uma matriz energética muito limpa e renovável e, dessa forma, os desafios não são tão difíceis de superar. O governo federal, portanto, está aproveitando para fazer a introdução de novas fontes energéticas, nesse caso a eólica, que já está se consolidando; e a solar, que agora está avançando com mais constância.

Goiás Solar

O Goiás Solar, gerido pela Secima,  apresenta resultados expressivos. O programa foi lançado em fevereiro de 2017 e desde então já foram viabilizados, por meio dele, mais de 500 projetos de instalação de placas solares fotovoltaicas em residências, comércios, propriedades rurais, órgãos públicos e indústrias em todo o Estado.

A finalidade do programa é capilarizar a geração de energia solar fotovoltaica para todas as regiões de Goiás, por meio do fomento da geração e do uso de energia limpa em áreas urbanas e rurais.

Comunicação Setorial da Secima

Fotos: Agnaldo Félix

Mais informações:(62) 3201-5253