Saúde alerta: adultos também precisam ser vacinados

Publicado: 12/02/19 09:07

Orientação é procurar uma das cerca de 900 salas de vacinas espalhadas pelo Estado e atualizar o cartão de vacinação.

Muita gente não sabe, mas os adultos também precisam ser vacinados. Quem está com as vacinas desatualizadas coloca em risco não apenas a própria saúde, mas também pode se tornar um transmissor de doenças, em especial para as crianças e idosos, que são mais vulneráveis.

Segundo o Ministério da Saúde, a partir dos 20 anos é preciso manter atualizadas as vacinas contra sarampo, caxumba, rubéola, hepatite B, febre amarela, difteria e tétano. Os números revelam que a vacinação dessa faixa etária está abaixo do ideal. Das vacinas do calendário adulto, no Brasil, a única que passa dos 50% de cobertura acumulada entre 1994 e 2018 é a da febre amarela, com 78,8%.

Em Goiás, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), com apoio das Secretarias Municipais de Saúde, alcançou a meta para vacina contra a febre amarela, com 95,8% de cobertura. Porém, os números para as demais vacinas seguem baixos. A cobertura é de 51% para hepatite B e para a dupla adulto, que imuniza contra tétano e difteria; e de 41% para a tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba.

A estudante do curso de auxiliar de veterinária Maria Lúcia Fernandes, de 36 anos, faz parte desse contingente da população adulta sem a proteção das vacinas. No início de fevereiro ela procurou um posto para receber a vacina antitetânica, exigida pela clínica onde irá fazer estágio. “Vacinei contra febre amarela há vários anos. De sarampo, quando era criança", conta, segurando um cartão novo de imunização de adulto. “O antigo está em casa, guardado em alguma gaveta. Preciso procurar”, revela Ana Lúcia, afirmando que só tomará as outras vacinas caso seja obrigatório.

Alerta preventivo

“A população adulta precisa estar consciente sobre a vacinação de rotina, uma vez que protege contra várias doenças e está disponível em mais de 900 salas de vacinação distribuídas em todo Estado de Goiás. Todas têm estoque para atender quem procura”, informa Joice Dorneles, da Gerência de Imunização e Rede de Frio da SES-GO.

Ela explica que um adulto com a vacinação atrasada corre riscos de desenvolver formas mais agressivas das doenças. O sarampo e a catapora são exemplos de enfermidades que, sem a vacinação correta, podem ter sintomas mais intensos e difíceis de serem tratados. “Estar com a caderneta de vacinação desatualizada contribui para transmissão de doenças imunopreveníveis”, destaca Joice Dorneles.

É possível vacinar não tendo a carteirinha de vacinação?

Sim. Guardar o cartão de vacinação é sempre importante, especialmente para o controle individual. Entretanto, se a pessoa perdeu o cartão, é possível tomar as vacinas básicas do calendário novamente. Para isso basta procurar o posto de saúde mais próximo.

As vacinas dos adultos

Hepatite B - Três doses, de acordo com a situação vacinal.

Tríplice Viral - Se nunca foi vacinado, são duas doses para quem tem 20 a 29 anos e uma dose para 30 a 49 anos; profissionais de saúde devem ter duas doses no cartão, independentemente da idade.

Dupla adulto (dT) - Três doses como esquema básico, de acordo com situação vacinal e reforço a cada dez anos.

Febre amarela - Uma dose, se nunca tiver sido vacinado.

Comunicação SES


TAGS: