Empresas de fachadas na mira do fisco e MP

Publicado: 11/07/19 15:16

Operação nacional organizada pelo Ministério Público de Santa Catarina para combater fraude envolvendo a transferência ilegal de créditos de ICMS contou com a participação em Goiás de três auditores fiscais da Delegacia Regional de Fiscalização de Luziânia e dois promotores de Justiça. Eles atuaram no Entorno do Distrito Federal. A Justiça autorizou 28 mandados de prisão em Brasília, mas nenhum em Goiás.

O trabalho consistiu na autuação de duas empresas revendedoras de bebidas quentes, uma em Novo Gama e outra em Águas Lindas. Elas são tidas como empresas de fachadas e comercializam milhões em transferência de créditos para outas empresas em Santa Catarina, segundo o fisco goiano. O trabalho começou na madrugada, com o apoio da Polícia Militar.

As duas empresas já eram consideradas suspeitas e agora será aberto processo para cancelar suas inscrições no Estado. A Secretaria da Economia já tinha pedido o bloqueio das vendas delas pela transferência irregular de crédito, mas as empresas recorreram à Justiça, com êxito. O crédito que as empresas tinham deve ser glosado pelo fisco de SC.

Comunicação Setorial – Economia