Hugol relata emocionantes histórias de pais na unidade

Publicado: 11/08/19 08:00

Nesse Dia dos Pais, o Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), unidade da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES), conheceu mais de perto emocionantes histórias de pais internados, acompanhando um filho ou trabalhando, e narra algumas delas.

Alexandre Gonçalves de Moraes é pai de duas meninas gêmeas de dez anos de idade. Isabella esteve internada na unidade em julho de 2017, após um acidente de trânsito, e agora é Isadora quem se encontra no hospital devido a uma urgência clínica. Ele cria suas filhas sozinhos desde que nasceram, abdicando de sua carreira profissional para poder dar atenção maior a elas. “Senti muito medo quando a Isadora adoeceu, pois não sabíamos exatamente qual era sua doença, mas por já conhecer a qualidade do Hugol, devido à internação da Isabela, sabia que podia confiar em toda a equipe, a quem considero verdadeiros anjos da guarda. Esse ano já recebi o melhor presente de Dia dos Pais que poderia ganhar, vendo minha filha se recuperar depois do susto que passamos”, relatou Alexandre.

O paciente João Almeida esteve internado na unidade, mas na segunda-feira, 05, dia de seu aniversário de 64 anos, teve uma grata surpresa, recebendo alta hospitalar. Seu filho Sidney veio buscá-lo na unidade e relatou a experiência: “Quando meu pai começou a sentir muita dor ficamos bastante preocupados, mas ao chegar no hospital vimos toda essa estrutura fantástica e observamos o cuidado e a dedicação de toda equipe e logo ficamos mais tranquilos. Acho que isso ajudou no tratamento, já que a recuperação foi muito rápida”.

O fisioterapeuta da unidade Júlio Coelho é pai do Matheus, de quatro, e do João Henrique, um ano, e contou o que representa ter filhos e como isso interfere em seu trabalho: “Ser pai é uma dádiva de Deus para podermos transmitir a nossos filhos todo cuidado e amor que recebemos Dele em nossa vida – sentimentos esses que acabamos transmitindo também para os pacientes durante o atendimento, especialmente naqueles casos em que nos colocamos no lugar dos pais ou dos filhos que estão internados”.

Comunicação Hugol