Agronegócio goiano exporta para 133 países no primeiro bimestre de 2020

China aparece em primeiro lugar entre os países que mais importaram do Estado. Os números fazem parte do boletim Agro em Dados de abril

Nos primeiros dois meses de 2020, o agronegócio goiano foi responsável pela exportação de produtos para 133 países, sendo 22 a mais do que no mesmo período de 2019, quando foram 111 países. Ao todo, o volume exportado somou mais de US$ 776,8 milhões. Foram 451 produtos exportados, acréscimo de 43 itens se comparado com o primeiro bimestre do ano passado.

Entre os países que mais importaram de Goiás, a China aparece em primeiro lugar, com 32,1%, especialmente complexo soja e carne bovina. Já na avaliação apenas do mês de fevereiro, as exportações do agronegócio, em Goiás, somaram US$ 253,2 milhões, o que representa 63% do que foi exportado no Estado. Esses dados foram reunidos pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), e integram a edição de abril do Agro em Dados, informativo mensal da instituição.

O boletim revela ainda que houve aumento de 12% da estimativa de 2020 do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Goiás, se comparado com 2019. O montante alcança R$ 56,7 bilhões, o que representa 8,3% do VBP nacional, ou seja, 6º no ranking do País. Já o VBP da pecuária cresceu 9,8%, com R$ 19,5 bilhões, representando 34,5% do VBP goiano, enquanto o VBP da agricultura tem estimativa de aumento de 13,1%, com R$ 37,1 bilhões, somando 66,5% do total do VBP goiano.

Em relação às jurisdicionadas à Seapa, a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) registrou crescimento de 22,2% na taxa de atendimentos aos produtores rurais no primeiro bimestre de 2020, em comparação ao mesmo período do ano passado. Foram 11,5 mil atendimentos em todo o Estado. Já a Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa Goiás) divulgou que, em 2019, foram comercializadas mais de 949,3 mil toneladas de produtos, alcançando R$ 2,5 bilhões.

Desse total, hortaliças representaram 56,6%, enquanto frutas, 40,3%. A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) realizou, em janeiro e fevereiro deste ano, 2.292 fiscalizações de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SIE), em 281 estabelecimentos industriais. Também foram feitas 307 análises fiscais e 3.622 rótulos de produtos registrados. Os animais abatidos, sob a Inspeção Estadual SIE, somaram 2.671,054 aves, 88.709 bovinos e 75.309 suínos no primeiro bimestre de 2020.

O agro não para em Goiás

Os números revelados no Agro em Dados, divulgados em abril, confirmam a importância que o agronegócio exerce para o abastecimento das cidades. É por isso, segundo o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, que o setor não vai parar suas atividades, mantendo fluxo de produção, produtividade, industrialização e comercialização neste período crítico, de atenção e cuidados extremos com a segurança e a saúde da população por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Sabemos que é preciso evitar aglomerações, manter o isolamento no período de quarentena e tomar medidas de contenção, como as que o Governo de Goiás tem adotado, para que o vírus não se prolifere, contaminando cada vez mais pessoas. Mas entendemos que é necessário garantir o abastecimento de toda a sociedade. No atual cenário, a agropecuária se mostra ainda mais importante, porque é responsável por produzir e levar o alimento que chega à mesa de todos. As atividades vão continuar, com todo o cuidado possível no campo e nas cidades”, enfatiza. 

Confira o boletim Agro em Dados de abril:  http://www.agricultura.go.gov.br/files/Agro-em-Dados-2020/AGROEMDADOS-ABRIL.pdf  

Mais informações: (62) 3201-8925/ 3201-3546/3522-9000/3201-8767

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.