Seds lança em Goiás WhatsApp do Ligue 180

Número (61) 99656-5008 servirá para que população possa denunciar também pelo aplicativo de mensagens de texto, áudio e vídeo de casos de violência doméstica

Em live realizada nesta segunda-feira (23/11), com a participação da secretária Nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Britto, a secretária de Desenvolvimento Social do Governo de Goiás, Lúcia Vânia, divulgou o número do WhatsApp que será usado pelo Ligue 180, o serviço do governo federal para receber denúncias de violência contra a mulher. Muito usado e aceito pela população, o novo número servirá como mais um canal para vítimas de abusos ou violência buscarem socorro.

Para entrar em contato com o Ligue 180, basta salvar o número (61) 99656-5008 no celular e iniciar a conversa pelo aplicativo.

“Completamos, agora em novembro, um ano do lançamento do Pacto Goiano pelo Fim da Violência contra a Mulher e, apesar da pandemia, que teve um impacto muito grande nas estatísticas da violência doméstica, estamos conseguindo avançar no fortalecimento da rede de proteção da mulher em Goiás. E é com alegria que divulgamos essa nova ferramenta para que a proteção seja mais efetiva: o Ligue 180 pelo aplicativo WhatApp”, disse Lúcia Vânia, ao fazer a abertura da live que foi transmitida pelo Facebook da Seds.

Pacto pelo fim da violência

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), vai iniciar uma campanha para divulgar o número do novo canal de atendimento. O anúncio faz parte das ações da campanha 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher, que vai do dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

“Pelo WhatsApp, tudo ficará mais fácil para as mulheres fazerem as denúncias. Esta é mais uma ferramenta das que foram desenvolvidas nesse momento de pandemia para a proteção às mulheres brasileiras”, disse Cristiane Britto, ao citar dados da violência doméstica no Brasil, sobretudo os referentes a feminicídio.

Ela, que é titular de secretaria do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH), ressaltou o esforço do Governo de Goiás, principalmente na pandemia, em proteger as mulheres. Cristiane anunciou parcerias do governo federal e benefícios que serão destinados em breve ao Estado, como oito viaturas para o Batalhão Maria da Penha e três unidades da Casa da Mulher Brasileira.

“O atendimento é o mesmo do Ligue 180. Pelo WhatsApp, com a facilidade da internet, as mulheres que sentirem que seus direitos estão sendo violados, em qualquer parte do mundo, podem pedir ajuda pelo aplicativo. O WhatsApp ajuda muito, pois ele aceita mensagem de texto, áudios ou chamada de vídeo”, explica a superintendente da Mulher e da Igualdade Racial, da Seds, Rosi Guimarães.

Chamadas do exterior

Segundo Rosi, o uso do WhatsApp ampliará o atendimento às mulheres brasileiras até no exterior “Caso se sintam abusadas ou presenciem algum crime contra brasileiras, como tráfico e exploração sexual, elas podem usar o aplicativo que o governo federal entra em contato com a embaixada brasileira naquele país”, explicou ela.

"Estamos num momento delicado para as mulheres. Não podemos nos calar, nem fechar os olhos para esse absurdo. A pandemia acarretou, sobretudo, no aumento do número de casos de violência contra elas, por estarem mais vulneráveis nas questões de empregabilidade, financeira e de saúde. E quanto mais canais forem disponibilizados, mais poderemos empoderar as mulheres e, assim, salvar mais vidas”, disse a presidente do Conselho Estadual da Mulher (Conem), Ana Rita Casto, que também participou da live.

Fonte: Seds

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.