Adolescentes do socioeducativo fazem cursos extracurriculares e profissionalizantes

 

Com parcerias, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), promove reestruturação pedagógica para qualificar socioeducandos e inseri-los no mercado de trabalho

O Governo de Goiás, por meio da  Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), promove uma reestruturação nas estruturas pedagógicas do Sistema Socioeducativo, visando consolidar a oferta de cursos extracurriculares e profissionalizantes aos socioeducandos. Isso está sendo possível graças a parcerias firmadas com diversas instituições e que permitem diferentes ações pedagógicas dentro do sistema.

O esforço do Governo do Estado com os parceiros é no sentido de adequar o sistema goiano às normas do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). Algumas oficinas de diversos temas, entre as atividades de ressocialização, passaram a ser permanentes.  

No Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Goiânia, tiveram início as aulas de música e musicoterapia. Foram 30 adolescentes participantes na primeira etapa, dos 50 que atualmente cumprem medidas socioeducativas na unidade. O trabalho oferece aulas de música com teoria básica para acompanhamento em violão, cifras, ritmo e execução, e a prática, no próprio instrumento. A segunda parte, chamada de produção de oficina musical, trabalha a capacidade do adolescente de desenvolver composição e interpretação musical e abrange, também, a musicoterapia.

Por meio da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), foi oferecido um curso de olericultura para os 49 adolescentes do Case de Goiânia. O curso foi dividido em três módulos e capacitou os internos da unidade tanto para trabalhar na área como para dar início ao seu próprio negócio de produção de hortaliças com baixo investimento inicial. 

Em parceria da Seds com o Serviço Nacional de Aprendizagem da Indústria (Senai), 12 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Case de Luziânia tiveram aulas e se formaram no curso profissionalizante de operador de computador. O curso foi ministrado por equipes de técnicos do Senai durante dois meses, com duração de 160 horas de aula.

Eles tiveram certificadas as seguintes competências: Instalar, configurar e operar sistemas operacionais, aplicativos de escritórios e periféricos, organizar a entrada e saída de dados em sistemas de informação, conforme procedimentos técnicos de qualidade, atendendo às normas e políticas de segurança da informação e de respeito à propriedade intelectual.

Os socioeducandos do Case de Formosa participam, junto aos servidores da unidade, de uma atividade de produção de alimentos, por meio do cultivo de uma horta no pátio do local. Foram realizadas com os adolescentes atividades na composição de canteiros, adubação com esterco orgânico e limpeza por meio de capina entre os canteiros. 

Além do cultivo de folhagens e legumes, eles iniciaram a etapa de ampliar o cultivo de salsa, cebolinha e outros temperos. Os alimentos servem para complementar a alimentação dos socioeducandos e dos servidores que desempenham atividades de suporte na unidade.

No Centro de Internação Provisória de Goiânia (CIP), 20 adolescentes puderam, no início da pandemia de Covid-19, ajudar na produção de mais de três mil máscaras que foram distribuídas a profissionais de saúde e servidores da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) e Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) que atuam em missões externas de entrega de benefícios à comunidade goiana.

O projeto de confecção de Esquipamento de Proteção Individual (EPI) é uma parceria da Seds com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e OVG.

Onze socioeducandos do Case de Anápolis concluíram o 1º Curso de Noções de Cidadania e Ética oferecido pela unidade. As aulas foram ministradas aos jovens por dois servidores de colégios militares, sargento Miranda e sargento Pimenta. Também em Anápolis, a empresa Sallo Confecção e Comércio de Roupas, de Aparecida de Goiânia, instalou maquinário e vai contratar e capacitar 20 adolescentes, dentro de um projeto-piloto proposto pela Seds. O objetivo é levar unidades da empresa para todas os centros de socioeducação do Estado. 

O projeto foi submetido à análise da Justiça do Trabalho e, aprovado. Atualmente, a empresa Sallos já realiza trabalhos no sistema penitenciário de Aparecida de Goiânia.

Secretaria de Desenvolvimento Social — Governo de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.