Goiás bate recorde na geração de empregos, em agosto

Saldo de empregos formais, na comparação com igual período de 2020, cresce 68,5%. Estado atinge marca de mais de 100 mil novos postos de trabalho nos primeiros oitos meses do ano, lidera na Região Centro-Oeste e promove retomada da economia

O saldo de empregos formais de agosto de 2021, em comparação com igual período do ano passado, cresceu 68,5% em Goiás. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (29) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão ligado ao Ministério da Economia. O levantamento mostra que foram 11.667 empregos com carteiras de trabalho assinadas contra 6.914 no saldo de agosto do ano passado.

No acumulado de janeiro a agosto de 2021, Goiás registrou saldo de 100.978 novos empregos, resultado de 469.706 admissões diante de 368.728 desligamentos. “O objetivo é atender à demanda da população com um governo que rompe as desigualdades regionais ao criar alternativas de emprego”, reforçou o governador Ronaldo Caiado.

O dado mantém Goiás na liderança absoluta de vagas formais na região Centro-Oeste, com 51% à frente do segundo colocado, Mato Grosso, que acumula 66.817 empregos com carteira assinada, no mesmo período. Em seguida, aparecem Distrito Federal (41.143) e Mato Grosso do Sul (30.032). “Sempre digo que o emprego é o programa social mais importante que um governo pode deixar para seu povo”, ressaltou Caiado.

A estratégia pioneira em Goiás foi a criação de uma secretaria específica para recuperação da economia, a Secretaria da Retomada, além de outras ações que resultaram em novos empregos. Em relação ao acumulado do ano, de janeiro a agosto de 2021, Goiás ocupa a sétima posição. As mais de 100 mil vagas ficam atrás apenas de São Paulo (704,2 mil) Minas Gerais (261,6), Santa Catarina (158,9), Paraná (153,7), Rio Grande do Sul (118,8) e Rio de Janeiro (101,0), das regiões Sul e Sudeste do País.

Titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), José Vitti também comemorou os bons resultados e disse que o crescimento do saldo de novas vagas de empregos é reflexo da gestão voltada para o desenvolvimento de Goiás.

“Recuperar a economia depois de um tempo de dificuldades não é uma tarefa fácil” afirmou Vitti. “Mas a gestão em conjunto com todos os setores produtivos, em destaque serviços, indústria e comércio, é determinante para essa retomada. Esse é o modo Ronaldo Caiado de trabalhar”, avaliou. “É por isso que estamos conseguindo resultados tão expressivos”, destacou.

Ainda de acordo com o Caged, o setor de serviços em Goiás foi o que gerou maior número de empregos no mês de agosto, com saldo de 4.602 vagas. Comércio teve saldo de 2.833; indústria 2.822; construção 1.557; e agropecuária -147.

Fonte: Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) – Governo de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.